Filipe Araujo/AE
Filipe Araujo/AE

Russomanno diz que vai manter 'laranja' em equipe

Candidato do PRB se recusou a dizer quem são os demais integrantes que desenharam o seu programa de governo

Ricardo Chapola, de O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 21h03

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, negou nesta quinta-feira, 27, que Carlos Baltazar seja "laranja" de um funcionário da Prefeitura atuante em sua campanha e afirmou que vai preservá-lo na equipe. "Laranja significa pessoa que é colocada na frente para fazer coisa errada", disse antes de discursar para associados de uma cooperativa de transporte público. "Ele (Joaquim) não é o coordenador, é um dos coordenadores".

Segundo revelou reportagem feita pelo Estado, Carlos Baltazar, apresentado como coordenador do programa de governo, é o nome fictício de Carlos Alberto Joaquim. Ele ocupa um cargo de carreira de baixo escalão na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, na Prefeitura de SP. O verdadeiro coordenador do programa de governo é Luiz Augusto de Souza Ferreira, o Guto, presidente do banco de microcrédito, cargo de confiança da mesma secretaria.

Russomanno novamente se recusou a dizer quem são os demais integrantes que desenharam o seu programa de governo. "Não preciso dizer quem são os outros (coordenadores do programa de governo). Eu preciso dizer quem sou eu e quem é meu vice". Segundo o candidato, é preciso usar "nome de guerra" para preservar a identidade de servidores da Prefeitura. "Vou preservar os funcionários que estão trabalhando na minha campanha para que eles não sejam perseguidos."

Russomanno se recusou a dar nomes integrantes de sua campanha. "Não preciso dizer quem persegue. Vocês sabem quem são".  O candidato do PRB também afirmou que vai prestigiar os funcionários públicos de carreira na montagem de um eventual governo. "Vou prestigiar funcionário público de carreira em vez de colocar nos cargos de direção gente em comissão que não conhece nada da Prefeitura", disse o candidato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.