Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Russomanno diz que vai ingressar com mandado de segurança no STF questionando decisão sobre Pinato

O líder do PRB na Câmara afirmou que pedirá que os trabalhos do Conselho de Ética sejam suspensos até que os recursos sejam julgados

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2015 | 19h08

BRASÍLIA - O líder do PRB na Câmara, Celso Russomanno (SP), anunciou nesta quarta-feira, 9, que o partido vai protocolar recurso na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa e mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo o retorno do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) à relatoria do processo contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética. Nos pedidos, Russomanno pedirá que os trabalhos do colegiado sejam suspensos até que os recursos sejam julgados.

Pinato foi destituído do cargo de relator na tarde de hoje, durante sessão do Conselho de Ética, por determinação do vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA). A decisão do deputado maranhense acatava questão de ordem levantada pelo deputado Manoel Júnior (PMDB-PA), aliado de Cunha, afirmando que o parlamentar do PRB não poderia ter sido sorteado relator do processo contra o presidente da Câmara, pois fazia parte do mesmo bloco partidário que ele no início da legislatura.

A decisão do vice-presidente ocorreu um dia após o Supremo negar liminar da defesa de Cunha para afastar Pinato da relatoria do processo contra o peemedebista. A decisão foi do ministro Luís Roberto Barroso. Advogados de Cunha afirmam que o Regimento Interno da Câmara não permitia que Pinato fosse relator, por ser do mesmo bloco do peemedebista. Barroso, contudo, entendeu que a questão deverá ser resolvida pela própria instância parlamentar, sem intervenção do Judiciário. 

Arbitrária. Para Russomanno, Maranhão tomou uma decisão "arbitrária" e "monocrática", uma vez que os outros membros da Mesa Diretora não foram consultados. "Não vamos aceitar esse tipo de prática. Isso nunca aconteceu no Congresso, um deputado ser retirado de uma relatoria em decisão aparada em questão de ordem", afirmou. Questionado se a decisão do vice-presidente representa uma manobra de Cunha para se salvar, o líder avaliou apenas que "atitudes como essa não podem ser tomadas".

O líder do PRB anunciou que também apresentará questão de ordem ao plenário, questionando qual amparo regimental e jurídico o vice-presidente levou em conta para destituir Pinato. Caso o questionamento não seja aceito, ele afirmou que os deputados do partido vão entrar em obstrução nas votações do plenário da Casa. O PRB é da base aliada ao governo e está a frente do Ministério do Esporte, com o ministro George Hilton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.