José Patrício/AE
José Patrício/AE

Russomanno diz que vai agradecer tucano por divulgar vídeo

Senador Aloysio Nunes criticou pela internet trabalho do candidato do PRB na década de 1990

Ricardo Chapola, de O Estado de S. Paulo

05 de setembro de 2012 | 18h34

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, afirmou nesta quarta-feira, 5, que vai agradecer pessoalmente o senador do PSDB, Aloysio Nunes, por ter comentado sobre o vídeo em que o ex-deputado aparece apalpando o seio de uma mulher durante cobertura de um baile de carnaval em 1990. Na última terça, o tucano divulgou em sua conta do Twitter uma crítica ao ao trabalho do candidato que, na época, era repórter de um programa na TV Gazeta. O vídeo fez sucesso nas redes sociais.

Questionado sobre a postura do senador, Russomanno levou com bom humor: "eu só tenho a agradecer a ele, porque ele aumentou a quantidade de acessos violentamente. Foi uma promoção maravilhosa. Eu vou dizer isso a ele", brincou- antes de fazer má carreta pelo bairro de Grajaú, zona Sul da capital.

O senador usou a rede social para tentar questionar a personalidade de Russomanno, que lidera as pesquisas de intenção de voto. Na publicação, o tucano escreveu: "quem é o verdadeiro Celso Russomanno? O que aparece neste vídeo ou o candidato todo arrumadinho?".

Russomanno também comemorou o resultado da última pesquisa Datafolha, divulgada nesta quarta. Nela, o ex-deputado aparece na liderança isolada, com 35% das intenções de voto. Mas voltou a dizer que a recebeu com humildade e que continuará trabalhando como se estivesse em último lugar.

"Recebo com muito carinho. Mas recebo com humildade e com os pés no chão sempre. Digo para a minha equipe: façam de conta que estamos em último lugar, vamos continuar trabalhando do mesmo jeito, com a mesma vontade e determinação para chegar lá", afirmou.

A entrada da presidente Dilma Rousseff na campanha de Fernando Haddad (PT) fez Russomanno repetir que ele não precisou de padrinhos políticos para chegar na liderança das pesquisas. Ele tem dito que seu padrinho é o povo de São Paulo. Já Haddad, engrenou numa crescente nas pesquisas logo depois que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva embarcou na campanha petista.

"É o povo de SP que é meu padrinho político. Cheguei até aqui por causa do povo, não porque eu tenho algum padrinho político. O povo é que me trouxe até aqui, o povo que vai me levar à prefeitura. Não padrinhos políticos", alfinetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.