Russomanno defende uso de ONG em campanha

Russomanno afirma que encaminhamento de pessoas para instituto ‘não é nada’ e já tinha sido feito em outras eleições

Ricardo Chapola, de O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2012 | 03h04

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, disse nesse domingo, 9, não temer a investigação aberta pelo Ministério Público Eleitoral para apurar o uso da estrutura de sua ONG, o Instituto de Defesa do Consumidor (Inadec), na campanha eleitoral. A ONG é presidida por Russomanno e recebe eleitores que fazem reclamações ao candidato durante campanha. Russomanno disse que sempre atuou assim quando concorreu a outros cargos públicos.

"Eu não estou fazendo nada, não tenho medo da investigação do Ministério Público", afirmou antes de assistir à missa na Paróquia Assunção de Nossa Senhora, na região central. "As pessoas me procuram com problemas. Isso eu fiz a minha vida toda, durante as outras candidaturas, sempre foi assim", disse o candidato.

Conforme o Estado revelou na edição de domingo, a equipe de Russomanno distribui cartões de contatos e encaminha eleitores ao Inadec durante agendas oficiais de campanha do candidato. Nas ruas, Russomanno se compromete a solucionar "problemas" levados até ele pelas pessoas que o encontram.

Para ajudá-los, mobiliza a equipe do Inadec - formada por três advogados. Eles recebem reclamações de consumidores que se sentem lesados pela má prestação de serviços e produtos e pelo mau atendimento em órgãos municipais. E trabalham para tentar resolvê-las.

Entre agosto e o início deste mês, o Estado entrevistou cinco pessoas que pediram ajuda ao candidato do PRB durante atividades da campanha. Uma delas foi a pesquisadora Suzy Ramos dos Reis, de 40 anos. Ela contou que, após encontrar com o candidato do PRB pelas ruas do Brás no dia 24 de agosto, foi orientada a ligar para a ONG, que conseguiu agendar uma consulta para sua filha com um médico em uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA) da Prefeitura, na Lapa, na zona oeste.

Despesas. Quando questionado, Russomanno faz questão de ressaltar que custeia com recursos próprios todas as despesas de manutenção do Inadec.

Consultado pelo Estado, o promotor Roberto Senise, do Ministério Público Eleitoral, anunciou a decisão de abrir uma investigação para apurar se o atendimento prestado pelo candidato aos eleitores configura algum desrespeito à lei.

Apesar de sustentar "não fazer nada", Russomanno suspendeu ontem a entrega dos contatos do Inadec. Os assessores do candidato também deixaram de entregar cartões do instituto aos eleitores. Depois de participar de uma carreata, Russomanno fez corpo a corpo em uma favela na Cidade Ademar, na zona sul, distribuiu santinhos, autógrafos e parou para fotos.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012celso russomannoinadec

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.