Ruralistas não querem Stephanes na Agricultura

Deputados ruralistas que se reuniram nesta quarta-feira na Comissão de Agricultura da Câmara para buscar um nome de consenso para a pasta da Agricultura, e seguiram para o gabinete do presidente do PMDB, Michel Temer, que negocia com o governo a indicação de um nome do partido para o cargo. Entre os deputados estão Moacir Micheletto (PMDB-PR), Waldemir Moka (PMDB-MS) e Valdir Colatto (PMDB-SC). Os três são os nomes mais fortes para substituir Luiz Carlos Guedes Pinto, no Ministério da Agricultura, caso o governo ceda à pressão dos ruralistas e desista de indicar Reinhold Stephanes (PMDB). "A intenção é de que seja indicado um nome da bancada que possa anular, inclusive, qualquer tipo de resistência da oposição, dentro da bancada ruralista", disse Homero Pereira (PR-MT), um dos principais aliados do governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), que já fez duras críticas à indicação de Stephanes.A avaliação nesta manhã é de que Moka, com seus impedimentos políticos por conta da oposição que fez ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha eleitoral, teria menos chances que Micheletto caso o Palácio do Planalto desista de nomear Stephanes. O temor dos ruralistas é de que a proximidade de Reinhold Stephanes com o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), atrapalhe o debate sobre transgênicos no governo, já que o governador tem posição contrária aos grãos geneticamente modificados. Micheletto é favorito para ocupar o cargo e conta com a simpatia do governador de Blairo Maggi. Ele é também o preferido dos deputados ligados ao agronegócio e da Comissão da Agricultura da Câmara. A bancada, no entanto, espera que o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues assuma a função de porta-voz do setor junto ao presidente Lula. Rodrigues, que chegou terça de viagem a Espanha, já foi contactado por deputados e representantes de entidades de classe do agronegócio. Entre elas a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Segundo sua assessoria, ele deverá estar em seu escritório, em São Paulo, à tarde, e não vai se manifestar por enquanto. Micheletto também teria o apoio de Rodrigues, uma vez que ele tem forte ligação com o movimento cooperativista, do qual Rodrigues é um dos principais líderes mundiais. O deputado tem ainda a simpatia do atual ministro Guedes.A expectativa do PMDB é de que o Planalto anuncie o nome do novo ministro nesta quarta-feira, após reunião de Lula com Temer.O presidente da Comissão da Agricultura da Câmara, Marcos Montes (PFL-MG), deixou claro que os nomes de Moka e Colatto seriam apenas opções caso Lula tenha alguma objeção a Micheletto para a Agricultura. "É preciso uma integração entre os deputados e o ministério e o Micheletto é o nome de consenso, apesar de não haver qualquer tipo de veto a outro", disse. "Micheletto é o presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo e tem a preferência de todos. Eu acho que vai ser ele", completou o deputado Odacir Zonta (PP-SC). Com Reuterseste texto foi alterado às 15h05.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.