Ruralistas não conseguem votar moção de repúdio a Hackbart

Deputados da bancada ruralista na Câmara tentaram aprovar hoje, na Comissão de Agricultura, uma moção de repúdio ao presidente do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart, que associou representantes do setor de agronegócio aos assassinatos de trabalhadores rurais no Brasil. Mas a moção, que pede a exoneração de Hackbart do cargo, não foi votada porque a comissão preferiu discutir as emendas para o setor de agricultura no Orçamento de 2005."Assim que apresentamos a moção, o pessoal do PT começou a se mobilizar para que ela não fosse votada", disse a deputada Kátia Abreu (PFL-TO), que é presidente da Federação da Agricultura do Estado de Tocantins e, juntamente com os deputados Moacir Micheletto (PMDB-PR) e Odacir Zonta (PP-SC), apresentou o documento repudiando as declarações do presidente do Incra. A moção deverá ser votada na próxima reunião da Comissão de Agricultura, marcada para a semana que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.