Ruralistas fazem manifestação contra invasões no Pontal

As entidades que representam fazendeiros e produtores rurais prometem realizar amanã uma grande manifestação pública, em Presidente Prudente, no Pontal do Paranapanema, para reivindicar mais ação do governo para pôr um fim às invasões. O manifesto "Acorda Brasil", organizado pela União Democrática Ruralista (UDR) com apoio da comissão fundiária da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp), inspirou-se no movimento "maio verde", realizado no Rio Grande do Sul, em contraposição ao chamado "abril vermelho", onda de invasões realizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). O presidente da UDR, Luiz Antonio Nabhan Garcia, espera reunir pelo menos mil produtores e algumas centenas de máquinas e tratores na Praça 9 de Julho, no centro de Prudente. O local é o mesmo onde, no início de abril, o MST encerrou, com um grande ato público, uma marcha de cinco dias e deu início à onda de invasões na região. O prefeito Agripino de Lima (PTB), considerado inimigo do MST, cedeu a praça e garantiu sua presença no evento. Segundo Garcia, federações de agricultura e das indústrias, sindicatos, associações comerciais e representantes da sociedade civil participam do manifesto. "Vamos mostrar a importância do agronegócio para o País e a situação de insegurança no campo causada pelas invasões." Ele voltará a alertar as autoridades sobre o risco de novos conflitos na região, como o que ocorreu quarta-feira, em Presidente Epitácio, onde sete sem-terra ficaram feridos durante tentativa de invasão a uma fazenda. Os manifestantes vão protestar contra o Plano Nacional de Reforma Agrária e cobrar ação do governo federal no cumprimento das leis que protegem o produtor rural. "Vamos exigir mais respeito", disse Nabhan. O ato público na praça será precedido de uma carreata pela avenida Coronel José Marcondes, a principal da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.