Ruralistas criticam posição do governo de SP sobre o Pontal

Entidades que representam produtores rurais do Pontal do Paranapanema, no interior paulista, criticaram a posição do governo estadual para a regularização das terras na região e exigem acesso à proposta oficial.Em documento distribuído nesta sexta-feira pela União Democrática Ruralista (UDR), Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp), Sociedade Rural do Oeste Paulista e sindicatos rurais de Mirante do Paranapanema e Presidente Wenceslau os representantes das entidades reclamam da pressa do secretário de Justiça e Defesa da Cidadania, Fernando Moraes, em arrecadar áreas no Pontal para assentamento de sem-terra.Moraes disse que pediria ao Tribunal de Justiça mais rapidez no julgamento das ações que envolvem propriedades daquela região. No documento, o advogado Fernando Antonio Neves Baptista, que representa as entidades, lamenta que o secretário tenha atribuído ao Tribunal de Justiça a responsabilidade pelo atraso na solução fundiária do Pontal."A culpa é do próprio Estado que, conhecedor dos problemas daquela região há pelo menos 112 anos, permaneceu inerte, permitindo que aqueles registros imobiliários tidos agora por irregulares se propagassem dando origem a milhares de transações subsequentes." Os atuais proprietários, segundo ele, pagaram pelas terras confiando nas certidões de propriedade expedidas pelos Cartórios de Imóveis instalados pelo próprio governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.