Ruralistas acusam governo de SP de apoiar invasões no Pontal

A União Democrática Ruralista (UDR), entidade que reúne produtores rurais e fazendeiros, denunciou nesta segunda-feira evidências de que a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), órgão do governo do Estado, estaria apoiando invasões de fazendas no Pontal do Paranapanema, na região oeste do Estado.Segundo o presidente da UDR, Luís Antonio Nabhan Garcia, na invasão da Fazenda São Jorge, em Presidente Epitácio, no último sábado, 100 famílias de sem-terra utilizaram um mapa que teria sido fornecido pelo Itesp. "É um indício claro de que o órgão do Governo está dando apoio logístico para os invasores", disse. As famílias integram o MST Central do Brasil, um braço do Movimento dos Sem-Terra (MST).Segundo Garcia, o mapa é igual aos produzidos pela equipe técnica do Itesp e foi entregue pelos sem-terra a funcionários da fazenda, que o levaram ao proprietário, Jorge Luizari. "Eles mandaram um recado dizendo que o Itesp estava pronto para intermediar a aquisição da fazenda, o que causou espanto, pois jamais o proprietário manifestou intenção de vendê-la."Em uma folha manuscrita, assinada pelo coordenador do grupo, Edi Ronan, ele afirma que o MST Central do Brasil quer "fazer um acordo" e relaciona telefones de serviço e celulares de uso pessoal do diretor executivo do Itesp, Jonas Vilas Boas, e do gerente de Arrecadação e Projetos, Eduardo Bestold. Em outros papéis há o timbre do Itesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.