CLAYTON DE SOUZA/Estadão
CLAYTON DE SOUZA/Estadão

Ruptura anunciada por PSDB joga Cunha no colo do PT, diz Paulinho

Segundo deputado, presidente da Câmara ficou irritado com declaração de tucanos principalmente porque já havia combinado com oposição que anunciaria um novo rito para o processo de impeachment de Dilma

Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

11 Novembro 2015 | 15h19

O deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, disse nesta quarta-feira, 11, ter estranhado a postura do PSDB, que anunciou hoje que pedirá em plenário o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo Paulinho, Cunha ficou irritado com os tucanos, principalmente porque havia sido combinado com a oposição que nesta quinta-feira, 12, ele anunciaria um novo rito para o processo de impeachment na Casa.

"O Eduardo Cunha reagiu com indignação. Achou um absurdo", revelou. Paulinho disse que no almoço de ontem com o peemedebista, o PSDB teve uma postura diferente da anunciada hoje. Agora ele já não sabe se Cunha anunciará mesmo o novo rito amanhã. 

"Acho que foi mal (a ruptura) porque, no meu ponto de vista, abriram mão do impeachment. Jogaram o Cunha no colo do PT", avaliou Paulinho. O presidente do Solidariedade também estranhou o apoio do PSDB à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU) e disse esperar que os tucanos não apoiem também o retorno da CPMF.

Paulinho reclamou que os tucanos tomaram uma decisão isolada e não combinada com os demais partidos da oposição. "Foi muito ruim para a oposição", declarou. O deputado descartou a possibilidade de Cunha se "vingar" dos tucanos. "Neste momento, não vai dar o troco em ninguém", previu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.