Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Rui Falcão conclama militância e simpatizantes a defender Dilma

Presidente nacional do PT divulgou vídeo às vésperas de manifestações no qual pede respeito às leis e às autoridades

Elizabeth Lopes e Carla Araújo, O Estado de S. Paulo

12 de março de 2015 | 19h48

 


São Paulo - Às vésperas das manifestações programas para esta sexta-feira, 13, e domingo, 15, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, divulgou um vídeo para conclamar a militância, apoiadores e simpatizantes a irem às ruas defender o partido, o governo da presidente Dilma Rousseff, e a reforma política. Nesta defesa, Falcão orienta os que estão saindo às ruas a não aceitarem "provocações de extremistas", mas "tampouco a não abaixarem a cabeça". E justifica: "Estamos mudando o Brasil e isso nunca foi fácil." 

O presidente do PT diz que o partido considera as manifestações públicas, sejam elas favoráveis ou contrárias ao governo, legítimas e democráticas. "O direito à livre expressão de pensamento e o aprofundamento da democracia continuam sendo valores abraçados pelo PT e estão assegurados pelo nosso governo. A democracia demanda tolerância, inclusive diante das opiniões contrárias, mas também exige responsabilidade, respeito às leis e às autoridades constituídas e eleitas pela maioria da população", diz ele, no vídeo de cerca de três minutos.

Rui Falcão destaca que "o PT repudia qualquer ato de violência, de ódio, de intolerância, de golpismo ou qualquer tentativa de desrespeito à democracia". E argumenta que todas as instituições estão em pleno funcionamento no Brasil e se manterão dessa forma para investigar e punir corruptos e corruptores, "sempre nos marcos do Estado democrático de direito".

No vídeo, ele diz também que "alguns grupos organizados têm se aproveitado de um momento de dificuldade passageira para tentar espalhar seus métodos antidemocráticos, incitando ao ódio e ao medo, combustíveis com os quais querem incendiar corações e mentes". E alega que esses grupos terão que esperar pelas eleições de 2018 para então disputarem seus planos nas urnas. "O PT confia no nosso projeto, que é apoiado pela maioria que livremente se manifestou nas urnas em 2014."

Falcão diz também que o governo continuará aprofundando as melhorias sociais, democráticas e econômicas já garantidas pelas gestões anteriores da legenda. "Nosso projeto é vitorioso e seguramente continuará melhorando o Brasil."

Ainda no vídeo, Rui Falcão alega que "as ferramentas do ódio e do medo que esses grupos (contrários ao governo petista) estão usando não são as ferramentas da luta democrática", destacando que a sigla vai continuar fazendo essa disputa com argumentos, com diálogo e com serenidade.E complementa: "Eles passarão e nosso governo e nosso partido continuarão a defender a democracia e um Brasil ainda melhor. Vamos ampliar nossas mobilizações em todo o País em defesa do PT, da reforma política e do governo da presidenta Dilma."

Tudo o que sabemos sobre:
protestosDilma RoussefPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.