Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Rui Costa diz que não vai a inauguração de aeroporto com Bolsonaro: ‘Convenção político-partidária’

Governador da Bahia afirmou que fez convite para o presidente, mas grupo do governo teria decidido ‘excluir o povo da inauguração’

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2019 | 15h35
Atualizado 22 de julho de 2019 | 20h29

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou nesta segunda-feira, 22, que não vai participar da inauguração do aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, que terá a presença do presidente Jair Bolsonaro na terça. Ele gravou um vídeo nas redes sociais para dizer que o evento se transformou em uma “convenção político-partidária” e que não está de acordo com isso. 

“Não posso participar de um evento em que o povo não tenha acesso”, disse o governador ao Estado, explicando que não vai à inauguração porque a equipe do governo federal, convidada por ele na semana passada, decidiu fechar o ato apenas para convidados, o que o desagradou.

De 300 pessoas, Costa teria direito a indicar 70. Depois, o governo federal decidiu que iriam 600 convidados, dos quais 100 indicados pelo petista. Na opinião de Rui Costa, o evento na terceira maior cidade da Bahia, com 340 mil habitantes, deveria ser aberto ao público. Ele relatou que sugeriu ainda a abertura do espaço à população após a saída do presidente Bolsonaro, mas o pedido também foi negado.  

“Eu que convidei o governo federal e tenho 100 credenciais? O sentimento é de perplexidade: você pega um governador, em tese de um partido de oposição a ele (presidente), que faz um aceno de generosidade, de boas maneiras, e ao invés de o presidente vir de forma generosa, de negociar com o Estado as condições, de compartilhar conosco a organização, chega impondo condições inaceitáveis?”, questionou. 

‘Paz’

Rui Costa afirmou que não pode participar de um evento “em um ambiente desses”. “O Brasil precisa de paz, de gente que, mesmo pensando diferente, sente, converse e aja como uma República determina, com respeito a posições diferentes. Não dá para misturar o ato de governar com uma posição ideológica ou partidária. Não posso, no exercício do cargo, ficar fazendo trampolim para debate político, debate ideológico. Não queremos disputas entre o Estado da Bahia e o governo federal”, disse. 

Procurado, o Planalto não respondeu os questionamentos da reportagem sobre as declarações de Rui Costa.

Confira a mensagem em vídeo do governador baiano: 

Olá, meus amigos e amigas. Quero reafirmar o orgulho de ter nascido na Liberdade. O meu profundo orgulho de ser baiano, de ser nordestino. Nordestino que acima de tudo é um resistente, um trabalhador. Como o povo da região de Vitória da Conquista, que trabalhou muito durante anos para tornar esse sonho realidade, o novo aeroporto da região.

Exercitando o que aprendi com a minha família, a gratidão, quero aqui reconhecer aqui o papel fundamental do ex-governador Jaques Wagner que iniciou esta grande obra. Do ex-secretário de infraestrutura, Otto Alencar, que também participou de forma decisiva. Reconhecer o papel da presidenta Dilma Rousseff, que assinou os dois convênios.

O primeiro, da pista, no ano de 2012, e o segundo, do terminal de passageiros, já no ano de 2015. E quero agradecer também ao ex-governo Temer, que pagou a última parcela, em novembro de 2018. Exercitando a boa educação que aprendi, convidei o Governo Federal a se fazer presente no ato de inauguração, nesta grande festa. Infelizmente, confundiram a boa educação com covardia, e desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia. A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária.

Não posso concordar com isso. Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o Governo do Estado construiu. Porque entendo que o Brasil precisa de paz para crescer e para gerar emprego. Quero pedir a Deus e ao Senhor do Bonfim que continue iluminando meus passos, me dando serenidade e saúde para que eu continue trabalhando pelo povo da Bahia, pelo povo do Nordeste e pelo povo brasileiro. Que Deus nos abençoe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.