Rubens diz que aliada pedia dinheiro com frequência

O ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Rubens Vieira disse em depoimento à Polícia Federal que Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, pedia dinheiro a ele "com certa frequência".

FAUSTO MACEDO E BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

12 de dezembro de 2012 | 10h38

Rubens é irmão de Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) apontado como chefe de uma quadrilha que comprava pareceres técnicos de órgãos públicos para beneficiar empresas, com a ajuda de Rose.

No depoimento prestado em 23 de novembro, dia da deflagração da Operação Porto Seguro, Rubens negou que tivesse feito qualquer pagamento a Rose e disse não saber se seus irmãos fizeram repasses a ela. Paulo e Marcelo Vieira ficaram em silêncio durante seus interrogatórios.

E-mails e telefonemas interceptados pela PF apontam que Rose recebeu uma série de favores do grupo liderado por Paulo em troca de cargos e reuniões com autoridades. Ela teria recebido da família Vieira passagens para um cruzeiro (R$ 2,5 mil), o pagamento de uma cirurgia no ouvido (R$ 7,5 mil), móveis para a filha (R$ 5 mil), um Pajero (R$ 55 mil) e o pagamento da dívida de um carro de seu irmão (R$ 2,3 mil).

Rubens negou que Rose tenha pedido a ele a nomeação da filha Mirelle para um cargo na Anac. Mensagens interceptadas pela PF mostram que a ex-assessora da Presidência cobrou de Paulo a indicação. "A contratação de MIRELE (sic) se deu em razão de seu perfil", alegou Rubens, em depoimento aos policiais.

O ex-diretor da Anac também disse conhecer Rose "desde a década de 90" e que frequentou a casa da ex-assessora da Presidência "em algumas oportunidades".

Ele confirmou aos policiais que Rose "apoiou sua indicação junto ao PT para a direção da Anac", e que pediu ajuda ao deputado Valdemar Costa Neto (PR) e ao ex-senador Gilberto Miranda, indiciado na operação, para que o Senado aprovasse a indicação de seu nome para o cargo. Rubens ressaltou que Rosemary "não presta qualquer outro tipo de favor" a ele. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
Porto Seguropedidodinheiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.