RS vai recuperar 92% das estradas, sem criar pedágios

O Rio Grande do Sul assegurou investimentos de US$ 450 milhões em dois programas destinados à recuperação e construção de estradas. No começo de março, o governo gaúcho pretende lançar os editais para a execução das obras do Programa Restauração, que vai recuperar 92% da malha rodoviária estadual (4.700 quilômetros), com US$ 70 milhões financiados pelo Banco Mundial (Bird) e US$ 80 milhões aplicados pelo estado.Pelo programa Corredores de Exportação, serão construídos, no total, 900 quilômetros de rodovias - 400 quilômetros já estão prontos -, no valor de US$ 300 millhões, com recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Jbic, do Japão, além de contrapartida do governo.Sem pedágioSegundo o secretário estadual dos Transportes, Beto Albuquerque, o investimento assegura uma política de manutenção das estradas, pois os vencedores da licitação do Programa Restauração ficarão atrelados por cinco anos a um contrato de obras e serviços. As rodovias, ressalta Albuquerque, não receberão pedágios, onde entra o segundo mérito dos investimentos, na avaliação do secretário. "Estamos demonstrando que há outras formas de financiar a manutenção e construção de rodovias que não o pedágio."As rotas dos Corredores de Exportação representam alternativas às estradas federais que foram privatizadas, diz Albuquerque. Os corredores vão facilitar os acessos a Pelotas, Rio Grande, Argentina e Uruguai. Para o Programa Restauração, a malha estadual foi agrupada em 14 lotes, que serão licitados em concorrência internacional disputada por 40 empresas pré-qualificadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.