Rota apreende lista de juizes a serem assassinados

Uma equipe da Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) apreendeu com duas traficantes de Jundiaí, mãe e filha, Maria de Lourdes de Souza Santiago, de 45 anos e Ariane Regina Santiago Brito, de 19 anos, uma agendacom a lista de autoridades que deveriam morrer. Denominados como "inimigos do tráfico", os nomes das vítimas incluem juizes de Jundiaí e de Assis, delegados, investigadores, advogados e outras pessoas que a polícia vem tentando identificar. A lista tem 36 nomes. As duas mulheres foram presas pela Rota na Vila Nambi, na periferia. Elas estavam com um quilo de maconha. Desde a apreensão da agenda, de madrugada, o delegado Seccional de Jundiaí, Paulo Afonso Bicudo, disse que as vítimas estão sendo informadas da situação. "Nós já comunicamos os superiores e vamos colocar ordem na cidade", afirmou. Um dos juizes, preocupado, fez reunião de emergência com policiais, para definir esquemas de segurança. Na últimasegunda-feira o Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) da Delegacia de Investigações Gerais (DIG)apreendeu 70 quilos de dinamite em gel, que seriam usadas na explosão do Fórum, da DIG e da Cadeia. Os explosivos foram trocados pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) por armas. O ato de terrorismo tinha até data para ocorrer. Só faltavam os detonadores, que seriam entregues na próxima terça-feira. A polícia de Jundiaí já sabe que o PCC teria até fuzis à sua disposição na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.