Rossi ironiza demora do PMDB em definir vice em SP

O presidente do PMDB de São Paulo, deputado estadual Baleia Rossi, encarou com ironia a demora do seu partido para definir o candidato a vice-prefeito na chapa que lançará o deputado federal Gabriel Chalita (PMDB-SP) à Prefeitura paulistana. "O (Fernando) Haddad não tem vice ainda, por que nós precisamos ter", provocou Rossi, numa referência à desistência, anunciada nesta terça, da deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP) em ser o vice do petista Fernando Haddad, adversário de Chalita.

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

19 Junho 2012 | 19h33

Rossi afirmou que a chapa encabeçada pelo PMDB de São Paulo terá na coligação com o PSC, o PTC e o PSL. "Não tenho expectativa de novos partidos, mas o que conseguimos até agora garantirão 5 minutos de televisão ao Chalita, que é um excelente tempo", disse o presidente do PMDB paulista. "Sobre o vice, vamos conversar com todos os aliados", completou.

Na coligação proporcional, segundo ele, PMDB e PSC devem lançar 110 candidatos a vereador e PTC e PSL, juntos, outros 110 postulantes à Câmara paulistana. Rossi avaliou ainda que o PMDB deve ter candidatos a prefeito ou vice em 400 cidades paulistas e elogiou o acordo do partido, definido hoje, para indicar o vereador Dário Saadi (PMDB) como candidato a vice do atual prefeito de Campinas Pedro Serafim (PDT). "O Dário é um excelente nome a dará uma densidade eleitoral grande para a coligação", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesSPPMDBvice

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.