Rossi: diretório do PMDB-SP é dissolvido

Após ter a renúncia de dois terços dos membros, Executiva Nacional do partido escolherá a comissão provisória que comandará até novembro

Gustavo Porto, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 15h25

RIBEIRÃO PRETO - O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, confirmou nesta quinta-feira, 27, que o Diretório Estadual do PMDB de São Paulo foi dissolvido por meio da renúncia coletiva de mais de dois terços dos seus membros, como prevê o estatuto do partido. A Executiva Nacional do partido escolherá, entre esta quinta e a manhã da sexta-feira a comissão provisória que comandará o PMDB paulista até novembro, quando haverá uma convenção estadual para definir o novo diretório.

 

Até lá, o filho do ministro, deputado estadual reeleito Baleia Rossi, comandará a comissão provisória do partido. "Nós estamos apenas esperando alguns membros da Executiva Nacional chegarem a Brasília para avaliarem a documentação e, assim, definirem a comissão provisória", explicou o ministro.

 

Wagner Rossi afirmou ainda que a comissão provisória deverá impor algumas regras para os 645 diretórios municipais do PMDB em São Paulo, condicionadas ao comportamento dos diretórios em relação ao apoio a candidatos do partido nas eleições de 2010. "Muitos apoiaram deputados de outros partidos e serão chamados para dar explicações", afirmou o ministro.

 

O PMDB de São Paulo era comandado pelo grupo do ex-governador Orestes Quércia até a morte dele, em 24 de dezembro do ano passado. Com o falecimento de Quércia, o deputado estadual Jorge Caruso assumiu provisoriamente a presidência estadual e agora o deputado Rossi, ligado ao vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), comandará o PMDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.