Rossi: Código Florestal será aperfeiçoado no Senado

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, disse hoje que a gestão do governo durante a discussão do Código Florestal no Senado será para "aperfeiçoar a lei", mas ressaltou que o texto aprovado na Câmara "dá segurança jurídica ao produtor" e "não anistia desmatador".

JANE MIKLASEVICIUS, Agência Estado

26 de maio de 2011 | 12h57

"Ninguém está sendo anistiado. O que o projeto faz é não julgar o passado sob a ótica de hoje. Os produtores podem recompor as APPs (Áreas de Preservação Permanente) em área mais simples, no bioma, e não na área produtiva", disse. Rossi afirmou que a presidente Dilma Rousseff tem razão em dizer que não se deve anistiar os desmatadores.

O presidente da Associação Brasileira de Agribusiness (Abag), Carlo Lovatelli, também comemorou a aprovação do projeto de reforma do Código Florestal na Câmara, mas reforçou que a necessidade do texto ser submetido ao Senado e à sanção da presidente gera uma demora e mantém a insegurança jurídica no campo.

Ele admitiu a possibilidade de o governo prorrogar por 120 dias o prazo para o início das sanções aos produtores. "É preciso dar um tempo para o povo (senadores) dar uma olhadinha", disse, durante o Seminário Perspectivas para o Agribusiness, realizado hoje em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.