Rossetto recusa convite de Lula para Desenvolvimento Agrário

O ex-ministro do Desenvolvimento Agrário Miguel Rossetto foi convidado nesta segunda-feira, 19, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para voltar ao cargo, mas declinou do convite e indicou seu substituto, Guilherme Cassel, para se manter no comando da pasta. O ex-ministro quer concorrer a prefeito de Porto Alegre no próximo ano, numa tentativa do PT de reconquistar a capital que governou por 16 anos, e por isso preferiu não retornar a Brasília. Ao todo, três nomes indicados pelo PT disputavam a vaga de ministro de Desenvolvimento Agrário: o deputado Walter Pinheiro (PT-BA), o dirigente Joaquim Soriano e Guilherme Cassel, que era secretário-executivo de Rossetto. Os três são da mesma corrente do ex-ministro, a Democracia Socialista. Como nenhum dos nomes havia agradado ao presidente, ele chamou Rossetto para uma conversa numa tentativa de trazê-lo de volta à Esplanada e, ao mesmo tempo, contentar as pressões internas do PT. O ex-ministro, entretanto, explicou que seus planos políticos futuros exigiam a permanência na capital do Rio Grande do Sul. Rossetto aproveitou o encontro para fazer lobby em favor de Cassell. A diferença do atual ministro em relação aos demais concorrentes à vaga é que ele tem formação técnica, além de ser da mesma corrente política. Entre 1999 e 2003, no governo gaúcho, Cassell foi chefe de gabinete quando Rossetto era vice-governador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.