Rossetto pretende ajudar produtores gaúchos

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, garantiu que o governo vai desenvolver ações para minimizar as perdas dos produtores do Rio Grande do Sul com a seca. Ele ressaltou que as medidas terão repercussão a curto e médio prazos, com o levantamento dos prejuízos, monitoramento de colheita das safras de milho e soja e apoio à lavoura de inverno. Ao visitar a Fronteira Noroeste e Região das Missões para avaliar os efeitos da estiagem no Estado, o ministro prometeu apressar a criação do Seguro Agrícola. Segundo Rossetto, o novo seguro terá que responder, como política permanente, pelas mais diversas situações enfrentadas pelos produtores do país, "como as inusitadas perdas na lavoura por causa de enchentes e seca". Neste sábado, em Guarani das Missões, no noroeste gaúcho, onde se reuniu com prefeitos, lideranças sindicais e representantes da agricultura familiar, o ministro Miguel Rossetto visitou a propriedade do agricultor Valdir Zorzo, que cultiva soja em 45 hectares, e teve a lavoura duramente castigada pela falta de chuvas na região. Levantamentos apontam para a queda, em média, de 20% na colheita gaúcha de soja, sendo que em alguns municípios as perdas já ultrapassam a 30%. Em São Miguel das Missões, Rossetto recebeu da Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa do Estado uma carta com as principais reivindicações dos agricultores familiares, como liberação de recursos para construção de redes de água e ampliação dos prazos de pagamento dos financiamentos já feitos. O ministro Rossetto também visitou a 5ª Exposição Feira Industrial, 10ª Festa Campeira, 4ª Mostra da Terneira e 1ª Feira da Agricultura Familiar, em Porto Lucena, onde também recebeu documento de reivindicação dos produtores. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.