Rosseto diz que não há motivo para tensão no campo

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, informou hoje, por meio da assessoria, que reconhece o protesto da União Democrática Ruralista (UDR) como uma manifestação legítima, mas não vai polemizar com a entidade porque não vê razão para o aumento das tensões no campo, justo agora que, como acredita, a reforma agrária começou a deslanchar. Ele disse que as ações dos sem-terra têm se situado no campo do estado de direito e os excessos vêm sendo combatidos com a lei. "Respeitamos qualquer manifestação, seja de trabalhadores, ruralistas ou agricultores. Só não há espaço neste governo para atos ilegais", avisou. Em quase todos os casos, na avaliação do ministro, prevaleceu a negociação. ?Quando isso não foi possível, o governo usou os instrumentos legais, inclusive a força policial, sempre respaldado por determinações judiciais?, afirmou. Tanto a onda invasões do "abril vermelho", promovida pelos sem-terra, como a retaliação dos ruralistas, no chamada "maio verde", na opinião do ministro, não causaram temor ao governo porque, até agora, o estado de direito não foi violado. "Respeitamos qualquer manifestação, seja de trabalhadores, ruralistas ou agricultores. Só não há espaço neste governo para atos ilegais", avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.