Rosmarie ganhou um coração novo. E morreu por causa dele

Rosmarie Voser, de 57 anos, recebeu um coração no início da semana, depois de uma longa espera por um transplantes. Sua procura por um coração novo foi acompanhada por uma série de reportagens da televisão nacional suíça, nas últimas semanas. Mas morreu hoje, porque o coração transplantado era de um grupo sangüíneo diferente do seu, informaram autoridades hospitalares. Rosmarie morreu antes mesmo que os médicos pudessem ligá-la a um coração artificial, capaz de mantê-la viva pelo menos temporariamente, admitiu a nota do Hospital da Universidade de Zurique.Depois da cirurgia, o corpo de Rosmarie começou a rejeitar violentamente o órgão transplantado. Foi então que os médicos descobriram que o doador do coração pertencia ao grupo A. Não havia a menor possibilidade de compatibilizar-se com o sangue de Rosmarie, do grupo O.O hospital, porém, alega que a causa do erro ainda é desconhecida.?É interesse de todos os envolvidos que o caso seja esclarecido e o público informado?, garante a nota oficial da instituição.O promotor público Jaroslav Jokl anunciou que abriu uma investigação sobre possível homicídio por negligência. Os promotores e a polícia estão interrogando os envolvidos na operação e Jokl determinou ao hospital que entregue todos os registros relativos ao caso Voser.No mês passado, um paciente cardíaco morreu em outro hospital suíço, na capital, Berna, depois que um técnico conectou-o incorretamente a um tubo e bombeou ar em sua aorta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.