Rosinha e Benedita fazem oração juntas e selam a paz

Depois de meses de ataques e graças à intermediação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a governadora Rosinha Matheus (PSB) e a ministra da Assistência e Promoção Social e ex-governadora Benedita da Silva (PT) selaram a paz hoje em encontro para tratar da ajuda financeira da União para programas sociais do Estado. As duas deixaram claro que as diferenças partidárias e eleitorais persistem, mas garantiram que isso não vai atrapalhar o relacionamento do governo federal com o Rio.Rosinha e Benedita se reuniram por cerca de uma hora no Palácio Guanabara, sede do governo estadual. Ambas evangélicas, elas fizeram orações juntas. Depois da reunião, em clima descontraído e aparentemente amigável, falaram com os jornalistas, sorriram, olharam-se nos olhos, cochicaram e, por fim, se abraçaram, em pose para fotógrafos."Eu sempre falei que divergências partidárias não podem atrapalhar no andamento do governo e a Benedita tem o mesmo pensamento. Nós não somos iguais. Certamente eu não penso como ela e ela não pensa como eu. Mas não tenho nenhum problema pessoal com a Benedita, tenho problema eleitoral", disse Rosinha, que durante a entrevista se referiu à ministra somente pelo primeiro nome, enquanto Benedita a chamava de governadora.A ministra acrescentou: "As disputas partidárias e eleitorais vão acontecer sempre, porque ninguém aqui está encerrando suas pretensões políticas, nem a governadora e muito menos eu. Mais adiante, teremos embates que serão eleitorais ou poderemos estar no mesmo barco; vai depender da conjuntura. Nesse momento, o que nós queremos é estreitar o relacionamento ao máximo e deixar toda e qualquer divergência de lado."As duas anunciaram um convênio do ministério da Assistência e Promoção Social para ajudar o Programa de Atendimento Integral à Família (PAIF), desenvolvido pelo Estado junto a 82 municípios fluminenses. O valor ainda será acertado.Rosinha disse ainda que Benedita vai ajudá-la na questão da antecipação do pagamento de Certificados Financeiros do Tesouro (CFTs) referentes aos royalties do petróleo, pleiteada por ela junto ao presidente Lula no encontro de quarta-feira. A ministra tentará interceder por Rosinha junto ao ministro da Fazenda, Antônio Palocci.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.