Roseana só deixa o cargo em 4 de abril

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, pré-candidata do PFL à Presidência, permanecerá no cargo até o dia 4 de abril, data-limite para que os ocupantes de cargos executivos, candidatos nas eleições de 2002, deixem suas funções. Roseana vinha sendo pressionada pela direção nacional de seu partido a desincompatibilizar-se antes do prazo para que pudesse viajar pelo país.A governadora preferiu afastar-se apenas por 20 dias, a partir desta segunda-feira, tempo que dedicará à campanha presidencial e à montagem da chapa que disputará sua sucessão no Maranhão. Ao permanecer no cargo até abril, Roseana dá tempo para que evoluam as negociações entre os partidos aliados do governo a respeito de uma chapa única para a sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso. E se resguarda.Em dois meses, acreditam Roseana Sarney e o candidato do PSDB à Presidência, o ministro da Saúde, José Serra, pode haver mudanças na estratégia política dos partidos governistas e na forma de composição da chapa que representará o Palácio do Planalto.Ao resistir às pressões para que antecipe sua saída do governo, pela segunda vez consecutiva em menos de uma semana, Roseana entra em choque com a direção nacional do PFL. Ela quer que o partido lance sozinho candidatos fortes nos principais Estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais, o que lhe garantiria boa votação na disputa para a Presidência.Mas o presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), afirmou que em Estados onde alianças regionais estão consolidadas, como Pernambuco, não será possível atender à candidata. Roseana pediu à Assembléia Legislativa licença do cargo, a contar desta segunda-feira, até o dia 24 de fevereiro.Nesta semana ela ficará no Maranhão. Quer divulgar o carnaval do seu Estado e mostrar aos turistas que é uma das festas folclóricas de maior raiz cultural no País. Roseana deseja ainda que o turista que visitar o Maranhão no carnaval conheça também outras partes do Estado, como a região dos Lençóis Maranhenses, ao norte de São Luís, a capital.Na quinta-feira, Roseana participará dos festejos da abertura oficial do carnaval, com uma fantasia do personagem Fofão. Mas a partir desta quarta-feira iniciará os contatos políticos que deseja fazer de fora do governo. Quer, por exemplo, consolidar a candidatura de seu vice José Reinaldo Tavares, do PFL, à reeleição. Depois, fará os contatos nacionais.Estão na lista de políticos com os quais deseja conversar o presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), o ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, até agora pré-candidato do PPB à Presidência, e o governador de Santa Catarina, Esperidião Amin, do PPB. Na semana passada, Roseana encontrou-se com o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL).A princípio, falou-se que foi apenas um início de conversa. Sabe-se agora que foi mais do que isso. Roseana encarregou Renan de levar ao PMDB um convite para fazer parte de sua chapa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.