Roseana diz que o povo a chama para ser candidata

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), disse hoje que os resultados das últimas pesquisas de opinião representam "um chamamento da população" para que ela saia como candidata a presidente em 2002. Roseana afirmou também que o partido poderá fazer alianças no segundo turno. "Não procurei sair candidata, não trabalhei para isso, mas os números indicam uma possibilidade", afirmou.A governadora argumentou que avalia a conjuntura atual para decidir o futuro político. "As pesquisas são um estímulo, mas tudo deve ser avaliado com muito critério." Segundo ela, os números revelam um apelo da população. "As pessoas estão colocando meu nome no jogo e eu só tenho a agradecer a elas." A governadora do Maranhão disse que a legenda acenou com uma candidatura própria a presidente e que a possibilidade de coalizão deve ficar para o segundo turno. Coligações com outras siglas podem ocorrer ainda no primeiro turno, desde que a agremiação prevaleça como cabeça de chapa, disse.Sobre as conseqüências da retirada da candidatura do governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), Roseana admite que ela não é boa para o PFL. "Acho que a saída de Tasso não traz benefícios para uma candidatura do PFL", disse.A governadora do Maranhão desmentiu a informação de que viajaria para a Europa em janeiro. Ela disse que permanecerá em São Luís e que fará apenas viagens de trabalho para cidades do interior do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.