Marcos Oliveira|Agência Senado
Marcos Oliveira|Agência Senado

Rose de Freitas confirma que será a líder do governo no Congresso

Anúncio oficial foi feito após reunião com o presidente em exercício Michel Temer, na noite desta segunda-feira, 20; senadora conduziu a aprovação do Orçamento de 2016

Julia Lindner e Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2016 | 22h20

Como adiantou a Coluna do Estadão, a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) confirmou que será a líder do governo no Congresso Nacional. O anúncio oficial foi feito após reunião com o presidente em exercício Michel Temer, na noite desta segunda-feira, 20. Ao assumir o cargo, ela disse que buscará "reorganizar o trabalho para dar agilidade à apreciação de medidas para a superação da crise".

Rose está de licença médica desde o início de maio, devido a uma ameaça de AVC (acidente vascular cerebral), e terá alta no próximo sábado, 25. Embora esteja afastada, a senadora já anunciou que fará uma reunião nesta terça, 21, às 10h, para instalar comissões destinadas a analisar as medidas provisórias que estão com o prazo vencido. Ela já havia deixado a licença para votar a favor do pedido de impeachment no plenário.

Mais cedo, Temer se encontrou com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-RJ) no Palácio do Planalto, antes de se reunir com os governadores por algumas horas. Entre os assuntos discutidos, o principal foi a nomeação de Rose. A indicação da senadora foi feita pelo líder do partido no Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), mas também conta com o apoio de Renan, da bancada do PMDB e de líderes da base aliada.

Com breves interrupções, Rose chegou ao Congresso pela primeira vez em 1982, como deputada federal. Como presidente da Comissão Mista do Orçamento até abril deste ano, ela conduziu a aprovação do Orçamento de 2016, o que foi visto como uma vitória do governo da presidente afastada Dilma Rousseff. Foi justamente essa boa capacidade de articulação que fez com que seu nome fosse aceito por Temer para o posto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.