Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Rosa Weber levará ao plenário ação contra MP que beneficiou Moreira Franco

O partido Rede questiona medida provisória que recriou Secretaria-Geral da Presidência e garantiu foro privilegiado a ministro citado na Lava Jato

Isadora Peron e Breno Pires, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2017 | 16h36

BRASÍLIA  - A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu levar ao plenário a ação proposta pela Rede que pede para que seja suspensa a medida provisória que recriou a Secretaria-Geral da Presidência da República e garantiu a prerrogativa de foro ao ministro Moreira Franco.

O julgamento deve ser marcado após as partes se manifestarem sobre o caso. A ministra deu cinco dias para a Presidência da República, a Câmara e o Senado prestarem informações. Depois disso, a Advocacia-Geral da União e a Procuradoria-Geral da República precisam se manifestar em três dias.

Na Ação Indireta de Inconstitucionalidade protocolada na quinta-feira passada, a Rede alega que o Executivo não poderia reeditar a medida, já que a MP 768 - que trata do mesmo tema - perdeu a validade e não foi votada no Congresso. Segundo a Rede, a MP serve apenas para manter o foro privilegiado do aliado do presidente Michel Temer, uma vez que Moreira é alvo da Operação Lava Jato.

A ação apresentada no STF afirma ainda que é preciso evitar que a edição de medidas provisórias se tornem ferramentas constantes para burlar decisões do Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.