Roncos e sono ocupam seguranças do STF

O corpo de seguranças do Supremo Tribunal Federal (STF) vem intensificando ultimamente a fiscalização sobre as pessoas que cochilam durante as sessões de julgamento. Advogados, estudantes e jornalistas são despertados com discretas chacoalhadas, providenciadas pelos seguranças. Hoje, a sutil intervenção rendeu protestos de um advogado. Poucos minutos após ser acordado por um segurança, o defensor foi novamente cutucado no ombro direito. Mas, como não estava dormindo de novo, ficou extremamente irritado com a atitude do funcionário.O STF informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não existe uma orientação da atual administração para que os seguranças despertem as pessoas que porventura cochilem no plenário. De acordo com a assessoria, os seguranças serão novamente orientados a respeito desse tipo de situação. A idéia inicial é interceder apenas quando a pessoa estiver roncando alto. Indagados sobre a origem da norma, seguranças do tribunal não souberam dizer quem era o responsável pela indicação. Um dos funcionários lembrou que é comum ver os próprios ministros dormindo durante os julgamentos. Mas, nesse caso, ninguém se atreve a acordá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.