Romeu Tuma quer SP agindo contra máfia dos jogos

O senador Romeu Tuma (DEM-SP) vai pedir ao superintendente da Polícia Federal, delegado Paulo Lacerda, que inclua São Paulo na ação contra máfia dos jogos. Ele argumenta não ter entendido porque São Paulo foi excluído da Operação Hurricane (Furacão, em inglês), apesar de ser um dos mais afetados pelas liminares concedidas por juízes para instalação das máquina de caça-níquel. "Em tudo quanto é esquina, tem uma dessas máquinas, sem nenhum constrangimento", afirmou Tuma. Segundo ele, a alegação dos que exploram o jogo é que estão devidamente autorizados por liminares concedidas por autoridades do Judiciário. Tuma disse que, no decorrer da CPI dos Bingos - realizada no ano passado, no Senado - apresentou um requerimento pedindo a relação de todas as liminares concedidas aos exploradores de jogos. O senador conta que não obteve resposta, o que diz lhe dar "a leve impressão" que o pedido nem mesmo saiu da comissão. O senador disse esperar que os processos contra os bicheiros, juizes e desembargadores sejam desmembrados, para evitar que aqueles que não possuem foro privilegiado venham a ser favorecidos pelo envio do inquérito para o Supremo Tribunal Federal (STF). "Se não fizerem isso, vai facilitar a vida deles", afirmou, referindo-se à servidora pública Susie Mattos, corregedora da Agência Nacional do Petróleo (ANP), e aos bicheiros presos pela PF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.