Romero Jucá se filia oficialmente ao PMDB

O senador Romero Jucá (ex-PSDB-RR) filiou-se hoje oficialmente ao PMDB, em solenidade realizada no gabinete do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), com a presença do presidente do partido, deputado Michel Temer (SP); do líder do partido no Senado, Renan Calheiros (AL); do presidente de honra do PMDB, Paes de Andrade, e dos líderes do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), e Amir Lando (PMDB-RO), futuro líder do governo no Congresso, no contexto da aliança que está sendo costurada entre o governo e o PMDB. Mais do que simplesmente filiar um senador, o comando do PMDB aproveitou a oportunidade para dar uma demonstração de unidade. Tanto que Temer foi insistentemente elogiado, tanto por Sarney quanto por Calheiros. O presidente do PMDB, que sempre foi identificado com o grupo rebelde que recusa uma parceria com o PT, mereceu agradecimentos públicos de Sarney, que atribuiu a sua tranqüilidade e capacidade de absorver divergências o novo momento de convergência do PMDB. No mesmo sentido, Calheiros observou que "não há, neste momento, nenhum questionamento" à presidência do partido. "Temos que destacar o papel extraordinário do presidente Michel Temer no trabalho de aproximação das correntes partidárias", afirmou o senador alagoano. "Pela primeira vez na história mais recente do partido, não estamos vivendo uma guerra interna pelo comando partidário". O senador Romero Jucá, por sua vez, se disse muito à vontade com a mudança, afirmando que já tinha uma parceria muito forte com o PMDB. Ele fez questão de lembrar que foi líder do governo Fernando Henrique, que uniu em sua base de apoio tucanos e peemedebistas. "Quero dizer do respeito que tenho pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e da minha disposição de contribuir com este novo governo para que possamos avançar, ainda mais, nas reformas que defendemos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.