Romário fica no PSB e pode comandar a sigla no Rio

Após conversa com o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o deputado Romário (RJ) deve anunciar na tarde desta quinta-feira, 26, a permanência no partido.

ERICH DECAT, Agência Estado

26 de setembro de 2013 | 16h17

Romário entregou o pedido de desfiliação no último dia 9 de agosto em razão da falta de espaço na legenda no Estado. A permanência de Romário deve ser anunciada um dia depois de a Executiva Nacional do PSB destituir o presidente estadual do Rio, Alexandre Cardoso, e iniciar um processo no Conselho de Ética da legenda que pode culminar na expulsão do dirigente.

Com a destituição de Cardoso, Romário deve ser conduzido para o comando do partido no Rio.

Eduardo Campos considerou como "absurdo" a conduta de Alexandre Cardoso que estaria encaminhando para o PMDB pessoas interessadas em se filiar no partido socialista.

"Está havendo um trabalho de dirigentes do nosso partido em favor a outro partido. O que é um absurdo do ponto de vista estatutário. Trabalho de filiação de deputados federais estavam sendo indicados para filiação de outros partidos em um trabalho de esvaziamento da nossa legenda", disse Campos após reunião da Executiva de ontem.

O pedido de intervenção no diretório foi feito pelo deputado federal Gláuber (PSB-RJ) e pelo prefeito de Petrópolis, Rubens Bontempo.

Mais conteúdo sobre:
PSB-RJaliançasRomário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.