Roche nega rompimento de negociações com Brasil

O laboratório Roche Holdings AG, da Suíça, negou que as negociações com o Brasil sobre seu medicamento para tratamento de aids Nelfinavir tenha sido rompidas. Ontem, o Ministério da Saúde brasileiro anunciou a decisão de quebrar a patente farmacêutica do remédio. O porta-voz da Roche, Daniel Piller, disse que a companhia foi surpreendida pela notícia procedente do Brasil. "Nossas negociações com o Ministério de Saúde caminham em bons termos e estamos aguardando para marcar a data para um novo encontro, conforme havia sido acertado", disse Piller."Dentro das negociações com o Ministério da Saúde já havíamos concedido descontos muito próximos do que queriam", disse o porta-voz. Ele acrescentou que a companhia também já havia tornado disponível gratuitamente uma determinada quantidade do medicamento. Como o Nelfinavir tem uma patente norte-americana, o governo brasileiro deveria ter consultado os EUA, como foi acertado em julho quando os dois países solucionaram uma disputa comercial, disse Piller. Ele afirmou que a Roche vai checar agora "quem exatamente fez o que e por que", antes de decidir o que fazer.O ministro da Saúde, José Serra, anunciou ontem que o Brasil vai usar a cláusula da lei de propriedade intelectual de 1997 que permite a quebra de patentes em casos de emergência nacional ou quando uma empresa empregar política abusiva de preços. Segundo nota do Ministério, a decisão foi anunciada depois de seis meses de negociações e após terem sido esgotadas todas as possibilidades para um acordo. A Roche vai continuar a fornecer o medicamento até dezembro de 2001, quanto o contrato com o Ministério de Saúde expira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.