Roche doa direito de produção de remédio

O laboratório farmacêutico Roche transfere nesta quarta-feira para o governo brasileiro a tecnologia de produção do medicamento Benzonidazole, usado no tratamento da doença de Chagas. É a concretização de uma negociação que começou no ano passado, entre governo e indústria.?Vamos auxiliar o governo na produção e distribuição do remédio, até que ele tenha completo controle de todo o processo?, afirmou João Carlos Ferreira, diretor para produtos de receituário da Roche Brasil. O remédio deixará de ser fabricado pela empresa.O acordo de doação dos direitos de produção do Benzonidazole inclui o acesso global à droga, ou seja, outros países da América Latina que também têm casos da doença poderão usar a produção feita pelo governo brasileiro.Para os pacientes, o acordo significa que o Benzonidazole não será mais vendido, mas distribuído pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Hoje, metade das unidades da droga é distribuída pelo SUS e metade é adquirida pelo paciente nas farmácias comerciais.A doença de Chagas é transmitida pelo barbeiro, que infecta o homem com um parasita chamado Trypanosoma cruzi. É nesse estágio, antes que a doença se complique e prejudique o coração, que o Benzonidazole é usado. Populações mais pobres da zona rural são as mais atingidas pela doença. Estima-se que 30% das pessoas infectadas desenvolvem problemas cardíacos ao longo da vida.Em Brasília, o assessor técnico da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) Fabiano Geraldo Pimenta afirmou que a doação dos direitos de fabricação vai beneficiar o tratamento de uma parcela dos pacientes com a doença. Isso porque o medicamento é usado só para casos novos da doença e, no País, a maioria dos pacientes contraiu a infecção há muitos anos.Segundo Pimenta, graças ao controle do inseto vetor, o índice de casos novos é pequeno. ?É uma notícia boa, pois a droga pode curar até 80% dos casos agudos. Mas o remédio não pode ser usado entre todos os pacientes.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.