Roberto Jefferson falta a depoimento sobre "caixinha" no IRB

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), cassado por envolvimento no escândalo do mensalão, faltou a um depoimento na Delegacia de Reperssão ao Crime Organizado (Draco), nesta quarta-feira, 20. O delegado Milton Olivier queria ouvi-lo num inquérito que apura uma suposta caixinha que o Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) repassaria ao PTB. "Eu tinha enviado uma notificação ao partido pedindo o seu comparecimento. Como ele não veio, irei intimá-lo e ele poderá ser indiciado caso falte sem uma justificativa", disse Olivier. A filha do ex-deputado, a vereadora Cristiane Brasil (PTB-RJ), que concorre a uma vaga de deputada federal, também convocada, não compareceu. Segundo Olivier, ainda não há provas do pagamento de propina, mas ele disse ter encontrado indícios de estelionato e falsidade ideológica. "Duas ou três empresas de resseguros dominavam todo o mercado e a forma aleatória de escolha dessas companhias, sem licitação, dá a entender que havia um favorecimento pessoal", concluiu o delegado. Até agora ninguém foi indiciado, o que, segundo Olivier, poderá ocorrer nos próximos dias. O inquérito na Draco investiga se o ex-diretor do IRB, Henrique Brandão, indicado por Jefferson ao cargo, pagava uma espécie de mensalidade ao PTB, partido em que o ex-deputado é presidente regional. Essa denúncia, que saiu publicada na Revista Veja, motivou o então deputado a denunciar a existência de um suposto mensalão no Congresso, dando início a mais longa crise política do governo Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.