Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Roberto Jefferson é internado para cirurgia de retirada de tumor

Internação do deputado acontece a uma semana do início do julgamento do mensalão, processo em que é um dos 38 réus

Luciana Nunes Leal - O Estado de S. Paulo,

26 de julho de 2012 | 09h42

RIO - O ex-deputado Roberto Jefferson internou-se na manhã desta quinta-feira no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio, onde será submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas, no próximo sábado. A cirurgia é considerada delicada e complexa pelos médicos e deverá durar entre oito e dez horas.

Além da retirada do tumor, a intervenção vai desfazer a cirurgia bariátrica feita pelo deputado em abril do ano 2000 para combater a obesidade. A internação acontece a uma semana do início do julgamento do mensalão. No processo em que Jefferson, cassado em setembro de 2005, é um dos 38 réus.

"Estou com medo, não vou falar que sou herói. Não depende mais de mim, não sou eu quem está no comando do navio", afirmou o ex-deputado há pouco no hospital, onde se submete a mais uma série de exames preparatórios para a retirada do tumor.

A cirurgia de retirada, no sábado, será feita pelo médico Ribamar Azevedo com a assistência dos cirurgiões Áureo Ludovico e Alexandre Rezende. "Não tenho certeza da natureza do tumor, saberemos depois da retirada. É uma cirurgia complexa, delicada. Além da retirada do tumor, é preciso fazer a reconstrução de parte do estômago e do canal que vem do fígado", explicou Ribamar.

Segundo o médico, o tumor tem cerca de quatro centímetros e é considerado "grande". "O tumor no pâncreas é traiçoeiro, de evolução silenciosa. Já pude perceber que o tumor do deputado Roberto Jefferson não é o tipo mais agressivo, mas saberemos se é benigno ou maligno só mais para a frente", informou.

O médico Alexandre Rezende disse que "de todas as cirurgias abdominais, a do pâncreas é das mais complexas e delicadas". Segundo Rezende, o ex-deputado vai se submeter a exames para "estudar melhor a anatomia vascular" do paciente.

"Estamos estudando as veias, as artérias para não sermos surpreendidos durante a cirurgia. Vamos trabalhar para minorar os riscos", afirmou o cirurgião.

A previsão é de que encerrada a operação, Roberto Jefferson fique de três a quatro dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Samaritano.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaoroberto jeffersoncirurgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.