Roberto Gurgel deve continuar no comando da Procuradoria-Geral

Atual procurador foi o mais votado e encabeçará a lista tríplice de candidatos a comandar o Ministério Público no biênio 2011-2013

Vannildo Mendes, de O Estado de S. Paulo

04 de maio de 2011 | 22h07

BRASÍLIA - Com 454 votos, o atual procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel Santos, foi o mais votado e encabeçará a lista tríplice de candidatos a comandar o Ministério Público no biênio 2011-2013. A relação de nomes será entregue nesta quinta-feira, 5, à presidente Dilma Rousseff.

 

A consulta à categoria foi realizada ontem pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Completam a lista tríplice, pela ordem, os subprocuradores Rodrigo Janot Monteiro de Barros (347 votos) e Ela Wiecko de Castilho (261 votos).

 

Com o resultado, Gurgel deve ser confirmado no cargo. Embora a presidente não seja obrigada a aceitar a ordem da lista tríplice da entidade - não há nenhum tipo de previsão constitucional para isso -, a prática tem sido acatada pelo chefe do Poder Executivo. A cada dois anos, o presidente da República nomeia um novo procurador-geral.

 

Prática. Nos oito anos em que governou o País, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestigiou esse processo de escolha e ungiu sempre o candidato mais votado pelos procuradores.

 

A votação foi realizada com urnas eletrônicas e transcorreu com tranquilidade em mais de 160 unidades do Ministério Público em Brasília e nos demais 26 Estados de Federação. A lista será entregue pelo presidente da associação, Antônio Carlos Bigonha, e Dilma anunciará sua decisão nos próximos dias.

 

Antes da nomeação, porém, o escolhido terá de ser aprovado, após sabatina, pela maioria absoluta dos membros do Senado, como manda a Constituição Federal. A escolha deve dar-se entre os integrantes da carreira maiores de 35 anos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.