Roberto Freire compara Mantega a Cândido, de Voltaire

O presidente nacional do Partido Popular Socialista (PPS) e deputado federal Roberto Freire criticou hoje o "otimismo exagerado" do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele o comparou ao personagem Cândido, de Voltaire - na sátira do escritor francês, Cândido, grande otimista que tem uma vida perfeita, se desilude após enfrentar dificuldades.

SILVANA MAUTONE, Agência Estado

23 de junho de 2012 | 16h13

"Nós já estamos começando a perceber a incapacidade do governo, basta demonstrar que temos um ministro da Fazenda que é um Cândido. Cândido significa uma figura de um grande escritor francês, que era um otimista exagerado. Tudo ele via às mil maravilhas embora o mundo fosse uma realidade dramática."

Freire disse que Mantega "é um ministro que diz que vamos crescer 5% e crescemos 2,7%, que fica irritado quando dizem que não vamos crescer 2% este ano. Irritação não adianta para mudar a realidade."

Freire criticou a política econômica dos governos Lula e Dilma, que, na sua opinião estimularam o "consumo exagerado" sem resolver problemas básicos como saneamento, educação e saúde. Segundo ele, foi incentivado "o consumismo exacerbado, despreocupando-se da produção, da poupança, das bases de um país do futuro". "Nós estamos enfrentando o início de uma crise com forte impacto na sociedade", afirmou. Segundo ele, a presidente Dilma não fala a respeito "porque é cria disso".

Freire participou hoje do evento que formalizou a candidatura de Soninha Francine (PPS) à Prefeitura de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Roberto FreireGuido MantegaVoltaire

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.