Roberto Campos melhora mas continua na UTI

O estado de saúde do ex-ministro e ex-senador Roberto Campos, de 84 anos, apresentou uma melhora "razoável e positiva" na manhã de hoje, com o controle do quadro infeccioso de pneumonia e a suspensão dos medicamentos para o controle de sua pressão, que voltou ao normal. Apesar dos avanços médicos, o economista continua internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul do Rio, sob monitoramento de aparelhos.Os médicos que cuidam de Campos também informaram que está sendo reduzida a dosagem dos medicamentos que o mantêm sedado. De acordo com o assessor do economista, Olavo Luz, o objetivo é ledá-lo a respirar sem ajuda de aparelhos. "Ele continua internado em estado grave, mas os médicos entendem que a melhora está sendo muito positiva em relação a ontem e desde o momento de sua internação, há uma semana", disse Luz.Ao chegar à clínica, Campos apresentava um quadro de fecaloma (retenção de fezes), já controlado. Em seguida, contraiu pneumonia. Em fevereiro de 2000, o ex-ministro do Planejamento sofreu uma isquemia cerebral, que limitou a sua capacidade de fala e o impediu de escrever.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.