Roberto Amaral defende construção de Angra III

Ao dar posse hoje, no Rio, à diretoria da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (Nuclep), o ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, defendeu a construção de Angra III que, segundo ele, tem terreno definido e já importou o equipamento que precisava. Disse que a definição sobre a usina representaria "um salto extraordinário para a Nuclep e para o Rio de Janeiro, porque as encomendas seriam feitas aqui".Roberto Amaral destacou ações para a recuperação da empresa que hoje apresenta um déficit de R$ 40 milhões/ano, ainda segundo informações da Agência Brasil,. Segundo ele, a empresa pode, por exemplo, participar da reconstrução da plataforma de lançamento de foguete da Base de Alcântara (MA), fornecer equipamentos para a construção das plataformas P-51 e P-52 da Petrobras e para a indústria naval, em fase de recuperação no país. A empresa pode ainda desenvolver serviços para toda a área de indústria pesada, além da possibilidade de estabelecer uma joint-venture com os governos da Ucrânia, China e Estados Unidos, países que têm um grande programa de construção de usinas nucleares. A Nuclep foi criada em 16 de dezembro de 1975 para atender ao Programa Nuclear Brasileiro. A partir de hoje passa a serpresidida por Jaime Cardoso. Dessa nova direção também integra o conselho da estatal o presidente da Federação das Indústriasdo Rio de Janeiro (Firjan) Eduardo Eugênio Vieira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.