RJ quer escalonar turnos de trabalho

A Secretaria Estadual de Transportes do Rio está propondo um plano conjunto, entre o setor público e o privado, de rescalonamento dos horários de todos os trabalhadores do Estado. O objetivo é reduzir os congestionamentos na cidade e economizar energia. O turno dos 240.000 servidores estaduais seria único, das 10h às 16h. Os 100 mil funcionários municipais trabalhariam entre 9h e 18h. O setor privado também poderia antecipar o fechamento das portas: as indústrias parariam de funcionar às 17h e o comércio fecharia as portas às 18h. Os secretários municipais e estaduais de Transportes voltaram a se reunir, hoje, com representantes da indústria e do comércio. Essa foi a terceira reunião do grupo que está estudando o rescalonamento. Eles pretendem acabar os trabalhos nesta semana. Durante a reunião, eles apresentaram um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) de 1998, que mostrou que, só em São Paulo, há uma perda anual de cerca de R$ 15 bilhões com os engarrafamentos. Ainda não se sabe exatamente qual seria a economia de energia no Estado, mas o secretário estadual dos Transportes, Albuíno Azeredo, acredita que ela será grande. O próximo passo da discussão, acordado durante a reunião, foi o de estudar, com a ajuda da Light, os benefícios energéticos do rescalonamento. "Tenho certeza de que, se conseguirmos alongar os horários de pico de manhã e à tarde, todos ganharão. Vamos economizar energia e ainda chegar em casa mais cedo", afirmou o secretário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.