Riotur vai levar produtora de "Os Simpsons" à Justiça

A Riotur, empresa de turismo do Rio, informou que vai notificar a Fox, produtora do desenho animado "Os Simpsons", na próxima segunda-feira, por causa do episódio "Blame it on Lisa", em que os personagens vêm à cidade e sofrem com a violência. O secretário municipal de Turismo, José Eduardo Guinle, quer que a Fox destine o lucro arrecadado com o desenho às obras sociais da prefeitura. O departamento jurídico da Riotur já está estudando uma forma de protestar formalmente na Justiça norte-americana contra a produtora. "A Primeira Emenda norte-americana lhes garante liberdade de expressão. Mas o que eles fizeram é uma sátira de mau gosto, agressiva, discriminatória, que atinge desde a criança até o adulto", afirmou Guinle. Ele acha que o desenho vai influenciar os jovens a temerem o Rio. "Você começa a criar no imaginário uma imagem negativa da cidade. Isso ocorreu por falta de conhecimento e também pela sátira típica dos Simpsons" disse. Em "Blame it on Lisa", os Simpsons visitam o Rio depois que Lisa passa a se corresponder com um órfão brasileiro, Ronaldo. O garoto desaparece e motiva a viagem da família ao Brasil. A violência na cidade é lembrada. Homer Simpson é seqüestrado por um motorista de táxi e é assaltado por menores de rua na orla. Quando Marge vai à delegacia dar queixa do seqüestro do marido, ela é assediada pelo policial. O episódio ironiza ainda a vida no Rio. O transporte público é substituído por uma fila de dançarinos de conga, órfãos são vítimas de ataques de macacos, Bart Simpson é engolido por uma jibóia no Pão de Açúcar, e ratos impedem que pedestres atravessem a rua. "O Rio não foi a primeira cidade retratada no desenho, mas acho que isso denigre mesmo a nossa imagem. Alguém tem que dizer que eles estão errados. Se nós fizéssemos o mesmo com eles (os americanos), eles não gostariam", acredita Vera Potter, vice-presidente da seção Rio da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav-RJ). Vera defende que, mesmo se tratando de um desenho animado, as idéias contidas na história podem atrapalhar a campanha brasileira para recuperar os turistas que perdeu nos últimos anos. Vera disse ainda que a cidade tem investido muito para mudar a imagem violenta que tinha no exterior e, há dois anos, vem colhendo os frutos. Para ela, atualmente a cidade voltou a receber a quantidade de turistas que tinha nos anos 70 e 80. "Ainda temos de trabalhar muito para solidificar essa nova imagem, mas, hoje, o Rio já voltou a ser visto como um destino turístico muito atraente. ", ressalvou. O arquiteto Alex Oliveira, de 29 anos, que há seis anos é eleito o Rei Momo do carnaval carioca, também não gostou do desenho. "Se eles querem satirizar a violência, que façam graça com os ataques terroristas." "Maldade" - Comandante do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), que conta 250 PMs percorrendo diriamente os pontos mais visitados da cidade, o tenente-coronel Jorge Braga considera a história uma "maldade". Ele acredita que há interesse econômico por trás do desenho. "Se estão criticando o Brasil, é porque estamos incomodando como destino turístico. A gente quer que o Brasil progrida, eles não", afirmou. O BPTur foi criado há dois anos e conseguiu reduzir os índices de criminalidade nas áreas onde atua. "Recebo elogios de vários lugares do mundo", contou o coronel Braga. (Colaborou Clarissa Thomé)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.