Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Rio terá farmácia para idosos com remédio a R$ 1,00

Idosos do Rio de Janeiro poderão comprar remédios a R$ 1 em farmácias estaduais até o fim do mês. A primeira de cinco lojas programadas será inaugurada no Instituto Vital Brazil (IVB), fabricante de vacinas e remédios, em Niterói. O governo investiu R$ 1,9 milhão no projeto - valor necessário para abrir duas farmácias. Depois da implantação do serviço, o governo calcula que precisará de cerca de R$ 270 mil mensais para subsidiar cada farmácia.Os remédios vendidos na farmácia serão fabricados pelo próprio Vital Brazil e outros 18 laboratórios estatais ou comprados de laboratórios privados. "Vamos desonerar a produção, eliminando a caixa, reduzindo o tamanho da bula, e subsidiar parte dos remédios", disse o presidente do IVB, Oscar Berro, que coordena a implantação da Farmácia Popular Vital.Ele diz que a diferença de preço entre remédios produzidos por laboratórios estatais e os que são vendidos em farmácias convencionais pode chegar a 6.000%. Além disso, o medicamento cujo custo seja de apenas alguns centavos também será vendido por R$ 1. Dessa forma, ele viabilizará os remédios um pouco mais caros, que sairiam a R$ 2 ou R$ 3.Os idosos terão entre 24 a 30 medicamentos à disposição nas farmácias. São remédios para hipertensão, cardiopatia, diabetes, gastrite, glaucoma, controle da dor, controle circulatório, cicatrizantes, ansiolíticos, e calmantes. Até o fim do ano, a lista terá 64 medicamentos diferentes.Para ter direito de comprar os remédios, o interessado tem que ter mais de 60 anos, apresentar receita do Sistema Único de Saúde e morar próximo à farmácia. "A idéia é reorganizar o SUS. Só vamos vender com receita do serviço público e para comprar nova caixa o doente terá que voltar ao médico. Assim também vamos diminuir a automedicação", afirmou Berro.Berro também acredita que o projeto promoverá distribuição de renda."O aposentado é responsável por grande parte da renda familiar. Se ele gastava até R$ 100 por mês com remédio, vai passar a pagar R$ 6 ou R$ 7. O que ele economizou será disponibilizado para outros usos da família", diz.A expectativa da Farmácia Popular Vital é atender a 65 mil idosos por dia. Para abastecer a farmácia nos primeiros meses, a estimativa do governo é gastar entre R$ 500 e R$ 600 mil mensais. "Até o fim do ano, esse valor estará estabilizado em R$ 400 mil e um terço será pago pelos aposentados", calcula Berro.

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.