Rio tem primeira suspeita de morte por dengue hemorrágica

A primeira suspeita de morte por dengue hemorrágica do mês foi registrada nesta terça-feira no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Se confirmado, será o segundo caso de óbito do semestre, após a epidemia do verão passado, em que 87 pessoas morreram no Estado.Um homem de 36 anos, cujo nome não foi revelado pela Secretaria Municipal da Saúde, morreu ao meio-dia da última terça-feira na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.No mês passado, uma criança de Magé morreu em São Gonçalo, no Grande Rio. ?O caso do morador de São João de Meriti tem todas as características clínicas de ser dengue hemorrágica, mas para confirmar é preciso aguardar o resultado da sorologia. Se confirmado, será o segundo caso no semestre?, disse nesta quarta o coordenador estadual de controle do Aedes aegypti, Clodoaldo Novaes.Amostras de sangue da suposta vítima de dengue foram encaminhadas para análise laboratorial no Instituto Noel Nutels e na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os resultados deverão ser divulgados até o fim da semana.Apesar da suspeita de mais uma morte, Novaes afastou o risco de nova epidemia no Estado. ?Vão surgir casos graves, mas uma epidemia é pouco provável, porque estamos intensificando as ações de controle. Casos graves, como este de São João de Meriti, estão sendo monitorados pela Secretaria. Agora, diferentemente do ano passado, temos uma estrutura montada para atuar rápido na assistência ao doente?, disse o coordenador.O caso de suspeita de morte ocorreu três dias após o Dia Nacional de Combate à Dengue, no sábado, quando o ministro da Saúde, Barjas Negri, esteve no Rio. No último verão, das 87 mortes por dengue notificadas, 63 ocorreram na região metropolitana. Cerca de 250 mil pessoas foram contaminadas pelo mosquito transmissor da doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.