Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Rio tem mais de 190 presos e 25 mortos em seis dias de confrontos

Quase 100 veículos foram incendiados; Vila Cruzeiro segue ocupada.

BBC Brasil, BBC

26 de novembro de 2010 | 12h12

As operações policiais prosseguem na sexta-feira

A violência prossegue pelo sexto dia consecutivo nesta sexta-feira no Rio de Janeiro com pelo menos cinco veículos incendiados durante a madrugada, incluindo três carros de passeio, um ônibus e um furgão.

Segundo boletim a Polícia Militar do Rio de Janeiro desde domingo foram incendiados 96 veículos, 25 pessoas morreram, 192 suspeitos foram detidos e 3 policiais, mortos.

Em outras estimativas, o número de mortos nos choques entre a polícia e criminosos é maior, chegando a quase 40.

Nesta sexta-feira, o Bope (sigla para o Batalhão de Operações Policiais Especiais do Estado) trabalha auxiliados por fuzileiros navais para consolidar a ocupação da favela Vila Cruzeiro, invadida na quinta-feira. Cerca de 200 traficantes fugiram para a favela vizinha do Alemão, no início da invasão.

Cerca de 800 paraquedistas do Exército vão ser disponibilizados para atuar nas operações das Forças de Segurança do Rio de Janeiro, além de dois helicópteros e outros 10 veículos blindados, para juntarem-se aos seis veículos da Marinha que já atuam junto com o Bope.

As Forças Armadas vão fornecer temporariamente ainda equipamentos de comunicação e óculos para visão noturna.

O governo estadual afirma que a onda de violência que ocorre na cidade é reação à política de ocupação policial de locais antes controlados pelo

Segundo o governo do Rio, é uma reação à política das UPPs, em vigor desde 2008, quando a polícia passou a ocupar áreas antes dominadas por criminosos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.