Rio pede que trens e metrô funcionem no apagão

O governo do Rio está reivindicando a manutenção de serviços como trens e metrô mesmo nos horários de apagão.Nesta segunda-feira, o secretário de Energia do Estado, Wagner Victer, enviou ao ministro Pedro Parente, que preside a Câmara de Gestão da Crise de Energia, uma relação de serviços considerados prioritários."São cargas que não podem estar sujeitas a cortes. O governo federal errou brutalmente no planejamento energético nacional, mas não pode agora levar os Estados à loucura", protestou Victer. Entre as cargas prioritárias, ele incluiu hospitais públicos e privados, delegacias e batalhões de polícia, presídios e casas de custódia, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, além da iluminação pública."É plenamente possível deixar esses serviços fora do racionamento", disse o secretário, que participou de um seminário em Fortaleza, no Ceará, do qual participava também o ministro das Minas e Energia, José Jorge. Segundo o secretário, os Estados e as distribuidoras de energia não estão tendo tempo para planejar os cortes."Não dá para esperar até o dia 23, quando o governo federal irá divulgar o plano de racionamento. Não está havendo informação em qualidade nem em quantidade para uma preparação adequada", alertou o secretário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.