Rigotto pretende mudar política econômica se for presidente

Pré-candidato do PMDB à presidência da República, o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, admitiu nesta sexta-feira que pretende mudar os fundamentos da política econômica, caso consiga se eleger nas eleições de 2006. Para o governador, é necessária uma reforma imediata das políticas monetária, tributária e cambial, bem como uma reformulação do pacto federativo entre União, estados e municípios.Rigotto avalia que o maior mal da economia reside na política monetária, extremamente conservadora. "Mudando a política monetária, o custo da dívida diminui, o superávit vai cair e o País vai crescer mais". Segundo ele, é uma mudança nos juros que também levaria a taxa de câmbio para um patamar mais adequado. "O câmbio hoje é artificial. Estamos com um déficit de mais de 800 empresas que deixaram de exportar por causa do câmbio", avaliou. "Isso também é um aspecto negativo da política monetária."Segundo Rigotto, apesar de um suposto comprometimento com o desenvolvimento, os governos do PT e do PSDB não conseguiram alcançar o objetivo por um excesso de conservadorismo. "O nosso projeto é de desenvolvimento. E isso envolve uma política econômica menos conservadora, com um novo pacto federativo, uma reforma tributária, mudanças na política econômica e cambial."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.