Rigotto pede licença temporária para se dedicar à campanha

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), deverá ficar afastado do cargo entre os dias 26 de fevereiro e 20 de março. Rigotto vai se dedicar, neste período, à campanha para a prévia do partido, no dia 19 de março, que escolherá o candidato à Presidência da República. O chefe da Casa Civil, Alberto Oliveira, informou hoje que o governador enviará pedido à Assembléia para uma licença não remunerada.Rigotto disputará a prévia contra o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho. O governador gaúcho já havia divulgado que deveria se licenciar cerca de 20 dias antes da votação para realizar a campanha. Na prévia, alguns filiados têm direito a mais de um voto. O presidente do PMDB-RS, Pedro Simon, por exemplo, tem quatro votos, por ser membro titular dos diretórios nacional e estadual, senador e delegado à convenção nacional. Estarão em disputa 22.030 votos, considerando um comparecimento de 100% dos participantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.