Ribeirão Preto proíbe doces e salgadinhos em escolas municipais

A secretária de Educação de Ribeirão Preto, Joana Leal Garcia, assinou uma resolução que proíbe o consumo e comercialização de guloseimas, refrigerantes e outros produtos calóricos, mas não nutritivos, nas cantinas das escolas do município. A medida vale desde ontem. As escolas terão que se adequar até o final do mês, pois, a partir de 1º maio, haverá fiscalização. O objetivo da medida é "proteger a saúde das crianças e dos adolescentes", evitando, por exemplo, as cáries. A Assembléia Legislativa também discute a adoção dessa medida nas escolas estaduais."Todas as escolas da rede municipal servem refeições de boa qualidade, com cardápio variado e alimentos balanceados, preparadas sob a supervisão de nutricionistas", diz a secretária Joana. A merenda escolar fornecida pelo município totaliza cerca de 44 mil refeições diárias. Entre os itens proibidos pela resolução estão: salgados fritos, balas, chicletes, pirulitos, refrigerantes, bombons, chocolates em tabletes, molhos industrializados (maionese e mostarda), paçoca, maria-mole, pipoca doce, refrescos em pó, pimenta, picolés e sorvetes.As diretorias das escolas terão de cumprir e fiscalizar a nova resolução. A Secretaria de Educação alega que a medida segue as determinações do Ministério da Educação e da Fundação de Assistência ao Estudante (FAE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.