Ribeirão Preto investiga morte de adolescente por hantavirose

A Vigilância Epidemiológica do município de Ribeirão Preto espera, para a próxima semana, o laudo do Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, que poderá confirmar se a morte da adolescente Mariana da Silveira, de 16 anos, foi causada por hantavirose. A adolescente morreu no último dia 13, no Hospital São Francisco, com hemorragias e insuficiência respiratória, o que levantou a suspeita da doença, provoca pela inalação pelo ar de fezes e urina de roedores. A vítima morava no bairro Ipiranga e na vizinhança havia ratos. Após o resultado do exame, se confirmada a doença, técnicos do Adolfo Lutz deverão capturar ratos no local. Neste ano, a região de Ribeirão Preto já teve cinco mortes por hantavirose - uma em Pontal, uma em Sertãozinho, uma em Santo Antônio da Alegria e duas em São Carlos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.