Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Revista afirma que Dilma pediu caixa 2 para Odebrecht

Segundo a publicação, Edinho Silva teria pedido uma doação de R$ 12 mi para serem repassados a Santana e ao PMDB

O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2016 | 05h00

Reportagem da Revista IstoÉ afirma que o empreiteiro Marcelo Odebrecht revelou em acordo de confidencialidade com a Lava Jato que a presidente afastada da República, Dilma Rousseff, cobrou pessoalmente uma doação para a campanha eleitoral dela em 2014 que não teria sido declarada à Justiça.

Segundo o empreiteiro, preso desde junho do ano passado, o então tesoureiro da campanha, Edinho Silva, havia pedido a ele uma doação de R$ 12 milhões para serem repassados ao marqueteiro João Santana e ao PMDB.

De acordo com a publicação, Marcelo se recusou a fazer o repasse e resolveu tratar do assunto pessoalmente com Dilma. “Presidente, resolvi procurar a sra. para saber o seguinte: é mesmo para efetuar o pagamento exigido pelo Edinho?” “É para pagar”, respondeu Dilma, segundo a revista.

Edinho afirmou tratar-se de um “show explícito de mentiras” somente para atacar Dilma. “Jamais pedi recursos que não fossem doados legalmente”.

O acordo de confidencialidade é o primeiro passo para a assinatura da delação premiada, que deve ser homologado pelo Supremo Tribunal Federal. A revista também afirma que o acordo de Marcelo deve citar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.